Praga: à primeira vista

março 06, 2013 Vera 18 Comments

 Castelo de Praga

Porto - Barcelona - Praga. Em prol de uns bons euros poupados, fiz a viagem em duas etapas: Porto - Barcelona (via Ryanair), Barcelona - Praga (via Vueling). Palminhas para a Vueling que é até agora a melhor companhia low cost onde já viajei. Adiante. 14h30, eu e a minha super-mochila acabadas de aterrar em Praga. Prioridade número 1: arranjar dinheiro. Apesar de normalmente ser adepta de levantamentos por multibanco, sabia que à partida iria precisar de moedas para o autocarro pelo que troquei alguns euros num dos balcões de câmbio do aeroporto. Prioridade número 2: chegar ao centro da cidade. Seguindo as excelentes indicações do hostel: devia apanhar o autocarro 119, com paragem no exterior do terminal, em direcção a Dejvická (ligação com linha de metro). Encontrar o autocarro e perceber o funcionamento da máquina de bilhetes não foi complicado e por 32 CZK (Coroas Checas), cerca de 1.30€, consegui o bilhete válido para vários transportes por 75min (?), perfeito para o efeito. Os bilhetes devem ser validados na primeira viagem (introduzidos numa máquineta do autocarro que regista a hora da primeira viagem, partindo daí ficará válido para os tais 75min, no caso). E... apesar de parecer simples "contornar" o sistema, não aconselho a tentar: encontramos frequentemente inspectores dos transportes. Prioridade número 3: encontrar a minha irmã. O autocarro que vem do aeroporto acaba junto a uma linha de metro onde, apesar de quase toda a informação estar em checo, não é difícil circular. Para chegar a "Malostranské Námestí" ainda tive que andar um bocadinho de elétrico. Nada a assinalar. Do pouco que andamos, os transportes públicos em Praga pareceram funcionar muito bem.
Saindo da Ponte Carlos, para o lado de Malá Strana ("cidade pequena"), um conjuntod e fachadas fabulosas. O nosso Hostel era no edifício azul que se vê na imagem. 

O hostel, foi provavelmente a minha melhor escolha de sempre: central (colado à ponte Carlos), barato (3 noites, 37€/pessoa), muito bonito, limpo, bem equipado, simpático, com várias actividades à disposição (free walking tours patrocinadas por eles, café Nespresso à descrição, uso livre da internet...), um staff sempre pronto a ajudar, cozinha totalemnte equipada... Além disso funcionava de forma ligeiramente diferente dos restantes hosteis onde já fiquei: em vez de vários quartos, uma sala e cozinha comum a TODOS, tinha vários pequenos apartamentos. No nosso caso partilhavamos as áreas comuns com apenas outros dois quartos. Como estávamos na época baixa e o hostel estáva longe de estar cheio, ficamos com todas as áreas SÓ para nós. Perfeito. 

Detalhe do tecto do nosso quarto (e pelo que vimos depois, não era dos mais bonitos)

Estómago cheio (o Starbucks aqui é caro como em todo o lado). Irmã encontrada. Hostel encontrado. Tralha arrumada. Blusões vestidos e toda a fazer-nos à estrada. O centro histórico de Praga é pequeno e facilmente percorrido a pé. É composto por três zonas distintas: Mála Strana, de um dos lados do rio, onde está o castelo e a Catedral de São Vito, Staré Mesto; a cidade antiga, onde se encontra o bairro judeu e o famoso relógio astronómico; e Nové Mesto, cidade nova, com a praça Venceslau e o Museu Nacional

Igreja de São Nicolau (onde está o Menino Jesus de Praga) vista por entre uma das portas da Ponte Carlos. Umas da muitas cúpulas da cidade.

Ponte Carlos e ... a prova de que Fevereiro, apesar da neve e do frio, é uma óptima altura para visitar Praga. (Aparentemente no Verão é quase impossível atravessar a ponte, tal o aparato de turistas).

Vera em modo esquimó. Não importa o quão "trangolho" fique com esta blusão. É perfeito para férias com temperatura máxima na casa dos -3ºC
 
Algures na cidade velha. Não sei bem onde mas penso que pouco depois de atravessar a Ponte Carlos. Todos os edificios são lindíssimos, todas as fachadas estão bem conservadas e cuidadas. Mesmo qunado encontramos estilos diferentes, tudo encaixa na perfeição.

A "cidade pequena" (o inglês "little quarter" soava melhor), vista da cidade velha. Destaca-se a ponte Carlos, a torre de uma das portas da ponte, as cúpulas da Igreja de São Nicolau e parte da Catedral de São Vito. E... neve, muita neve.

Marionetes, vidros, artigos de joalheria e os típicos artigos para turistas dominam as lojas da cidade velha.

Quando chegamos estava a nevar. Quando saímos para passear estáva a nevar e... nevou quase sempre durante o tempo que lá estivemos. Nesta altura ainda andavámos maravilhadas com a neve (eu nunca tinha visto nevar). Olha tão bonito, olha os flocos, olha como fica nas árvores. A neve não prejudicou a viagem (mil vezes neve a turistas), até tornou tudo mais bonito mas... o frio é coisa para ser desagradável para quem defende que as cidades só se conhecem a andar a pé.

Uma das sugestões do hostel era fazer uma free walking tour com um dos guias deles. Calhou-nos um brasileiro louco, que de Portugal conhecia o Boom Festival, as ondas da Nazaré e intercalava metade das frases que dizia em inglês com um "nééééé???!!" :) . Estas tours são excelentes para ficarmos a conhecer melhor a cidade, passarmos por sítios que nos passariam ao lado numa situação normal e conhecer algumas histórias locais. Além do mais, no Inverno, grande parte dos locais a visitar fecha por volta das 17h, as visitas do hostel eram sempre pós-18h. Óptimo.

 O tipo de blusão de ganga que se vê no meio, com rastas e um gorro com corninhos era o guia. :)

 Mais uma vista sobre a "cidade pequena". Pode ver-se também na imagem uma das ilhas do Vltava.

Pálac Adria

 Sara em modo "protecção total contra o frio".

 A Revolução de Veludo começou, quando a 17 de Novembro de 1989 a policia reprimiu uma das manifestação juvenil pacífica. Este evento desencadeu uma série de manifestações que acabaram por fazer cair o governo.


 A Praça Venceslau, antigo mercado de cavalos, marca o início da cidade nova. Cheia de hotéis e lojas, com o Museu Nacional ao Fundo é um dos pontos de passagem obrigatória. Segundo o meu pai (e eu concordo com a prespectiva) parece a Avenida dos Aliados.

 A praça da cidade velha. Impossível não admirar os inúmeros edificios que a circundam. Por aqui passaram a maior parte dos acontecimentos históricos da cidade. Num destes ediícios (não se vê na imagem) morou o sr. Einstein durante os anos que foi professor em Praga. É aqui que vêm "desaguar" muitas das estreitas ruas de Praga (dízia o guia e nós comprovamos a teoria várias vezes). É aqui que está o Orloj. É aqui (juntando a Ponte Carlos e a Catedral de São Vito) que encontramos as pequenas enchentes de turistas.

A ponte Carlos não atravessa só o rio, passa também sobre uma pequenina parte da cidade (que está ao nível do rio e chega a ter alguns canais)

Também podes gostar disto

18 comentários:

  1. Ah Vera, é-me tão familiar! Só lá fui duas vezes, mas reconheço só sítios todos que descreveste. Adoro Praga, só fui com sol e calor. Está no meu top 10, com certeza :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu até diria que está no meu top 3. Eu adorei!

      Eliminar
  2. Junto-me ao grupo de pessoas que a partir de agora vão pensar duas vezes antes de viajar no pico do Inverno :) Que fotos deliciosas, Praga TEM que ser o meu próximo destino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho alguma alergia a multidões. O frio é complicado, os dias são mais pequenos, mas... está tudo mais acessível, as viagens e o alojamento são mais baratos e não há quase filas em nada. Eu não me arrependi. Vai, vais adorar! :)

      Eliminar
  3. Acho que este ano sou capaz de lá ir... e estás a abrir-me ainda mais o apetite... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aposto que vais sair de lá maravilhada. :) É tudo muito mais espectacular ao vivo!

      Eliminar
  4. Adorei as fotos . Adorei o post. Com certeza um sitio a visitar futuramente.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. Ai ai.. eu tenho as malas preparadas para a Holanda, mas acho que vou mudar o destino, ihiihih que fotografias lindas! Espero que te tenhas divertido :) E aproveitado bem!
    Um beijinho e continuação de boa semana! :) ♥♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não conheço a Holanda, mas... ando mortinha por dar um salto a Amesterdão. Não será em 2013 mas... quem sabe 2014. Aproveita bem e mostra fotos! :)

      Eliminar
  6. ;) ainda hoje dizia as minhas amigas que as tuas fotos do FB fizeram-me querer ir a Praga;) Quem sabe se não é este ano ? ;) Mas com melhor tempo, para gelo já me chegaram os - 7 de NY ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nem cheguei a por todas as de Praga e muito menos as de Budapeste no Facebook. Estou a tentar organizar-me para as postar. Aposto que vais adorar. Eu não me importei muito com o frio (mas a minha irmã quase congelou). De qualquer forma... pelo que li e ouvi, o pico do Verão não é muito recomendável também.

      Eliminar
  7. É muito giro e, de facto, apanhaste muito menos gente do que eu no Verão, mas estou curada contra destinos frios no Inverno para os próximos tempos!

    Ah, e não deliraste com a revista da Vueling? Acho o máximo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que valeu a pena (a tua foto da Ponte Carlos deixa-me em pânico!) :)

      Sim, até trouxe algumas páginas e tudo, para inventar umas coisas!

      Eliminar
  8. Este roteiro escrito de Praga fizeram-me reviver imensas coisas e locais. Muitas saudades. Eu arriscaria a dizer que gostei mais de Praga do que de Paris. Adorei tudo. E foi uma viagem que ficará bem gravada na minha memória.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É diferente. Paris tem tudo mais disperso, é mais difícil sentir aquele ambiente de Praga. Eu adoro as duas (mas... acho que neste momento prefiro Praga também!).

      Eliminar